Propagandas antigas de drogas hoje proibidas

Heroína? Cocaína? Ópio? Hoje o porte dessas drogas é proibido e garante uma passagem para a cadeia, mas nem sempre foi assim. Anunciadas de diversas maneiras, no passado essas drogas eram protegidas de seus fabricantes, que, com o pouco conhecimento que se tinha na época, gostavam de apontar os vários supostos benefícios que elas possuíam.
O Leis de M.E.R.F. não faz apologia a nenhuma droga, o conteúdo aqui é exclusivamente para conhecimento.

HEROÍNA. por Bayer

A Bayer, por volta de 1890 até 1910, divulgava o seu produto indicado como substituto não viciante da morfina, e também para tratamento de tosses infantis.

Vinho de Coca
A Metcalf era responsável pela produção de um vinho contendo coca. Claro, esse era só um entre várias outras opções disponíveis no mercado, e as empresas que os produziam sempre afirmavam que os vinhos possuíam efeitos medicinais. Ninguém nunca mencionou o fato de eles venderem tanto talvez pelo efeito recreativo que possuíam.

Vinho Mariani

Lembram quando eu disse que haviam várias opções quando se tratava de vinhos com coca? O exemplar da Mariani, que circulava por volta de 1865, era o mais popular de seu tempo. Tamanho sucesso que o Papa Leão XIII sempre carregava um frasco com a bebida consigo, e ainda por cima premiou o criador Angelo Mariani com uma medalha de ouro.

Maltine
Os vinhos com coca eram uma ideia tão difundida na época que nem as crianças eram poupadas. A Maltine Manufacturing Company, de Nova York, indicava a seguinte dosagem: "Uma taça cheia junto com, ou imediatamente após, as refeições. Crianças em proporção.”

COCAÍNA. por C.F. Boehringer & Soehne
 A C.F. Boehringer & Soehne, localizada em Mannheim, Alemanha, tinha orgulho de ser  "A maior produtora de quinino e cocaína do mundo", como pode ser visto nesse peso de papel promocional da empresa.

Glico-Heroína
A Heroína já foi massivamente divulgada por sua suposta função analgésica e benefícios em relação a asma.
A empresa Martin H. Smith Company, de Nova York, misturava heroína com glicerina para tornar o opiáceo, que era amargo, mais "saboroso" para ingestão oral.

Asma? Use Ópio
Esse National Vaporizer Vapor-OL era o medicamento indicado para tratamento de asma e outras doenças respiratórias. O líquido era colocado em uma panela e aquecido por um lampião de querosene.


Tabletes de Cocaína
Em 1900, esses tabletes de cocaína eram considerados "indispensáveis" para oradores, professores e cantores. Além de "aliviar as dores de garganta", eles também davam um efeito "animador" para que o falante alcançasse o máximo de sua performance.

Dor de Dente? Drops de Cocaína!
Em 1885,  crianças com dor de dente recebiam como tratamento dropes de cocaína. Não apenas eliminava a dor "instantaneamente", ela também dava um efeito "alegre" para a garotada.

Ópio para recém-nascidos
Antigamente, caso você quisesse acalmar bebês recém-nascidos, não precisava ficar horas balançando o bebê no colo. Bastava dar um pouco de ópio.
Esse sedativo, vendido pela Stickney and Poor, era uma mistura de ópio de álcool, e possuía até doses específicas para cada faixa-etária dos bebês, como pode ser visto na imagem.
"Até 5 dias de vida - 5 gotas.
Até 2 semanas de vida - 8 gotas.
Até 5 anos de idade - 25 gotas.
Adultos - Uma colher de chá."
O produto era muito potente, e possuía um teor alcoólico de 46%.

Fonte: Hypescience


0 Comentários:

Related Posts with Thumbnails
 
Copyright © Leis de M.E.R.F.