A Origem de 9 superstições

1.Dá azar abrir um guarda-chuva dentro de casa

A origem, segundo alguns, vem dos gaurda-sóis nos tempos egipcios, com faraós e tudo mais, mas a versão mais aceita é de que a superstição provem da Inglaterra Vitoriana.
Acontece que na Londres do século XVIII os guarda-chuvas, de metal e a prova d'água, possuiam um mecanismo rígido, que era um perigo real se aberto dentro de casa, podendo ferir gravemente um adulto ou uma criança, isso quando não quebrava algum objeto dentro do estabelecimento, causando discussões entre familiares e amigos. Um verdadeiro azar. A crença muito provavelmente surgiu para evitar que as pessoas abrissem esses objetos dentro de casa.


2. Dá azar passar por baixo de escada

Essa crença vem, de fato, dos egípcios, por volta de 5.000 anos atrás. Acontece que uma escada inclinada e encostada em uma parede forma um triângulo, cuja forma era considerada um símbolo sagrado para eles (Acho que tivemos os primeiros Hipsters da história aqui), tão poderoso que era demonstrado em suas construções mais grandiosas: As Pirâmides.
Passar por uma escada encostada, ou melhor, pelo triângulo que ela formava, era claramente um insulto aos deuses, e por sua vez, uma tentativa calculada de profaná-los.
A crença seguiu as eras e foi adotada por cristãos. Como tivemos uma escada descançando sobre a cruz, a mesma acabou se tornando um símbolo de traição e maldade.
Na Inglaterra de 1600, os condenados precisavam passar por baixo de uma escada no seu caminho para a forca.

3. Espelho quebrado dá 7 anos de azar

Na Grécia antiga não era difícil encontrar pessoas que iam "se consultar" com videntes de espelho que contavam suas sortes através de seus reflexos. A adivinhação consistia em água e um espelho. O espelho era mergulhado em água e a pessoa deveria olhar seu reflexo. Se fosse claro, ela estava bem, se não, ela iria morrer.
Já em Roma foi adicionado um detalhe: Naquela época, as pessoas acreditavam que a saudade mudava em um ciclo de 7 anos. Portanto, uma imagem destrocida resultaria em espelho quebrado, e assim, em uma vida cheia de má saúde e infortúnios por 7 anos.

4.Se derramar sal, jogue um pouco para trás, sobre seu ombro esquerdo, para evitar azar.

Essa é antiga, vindo desde 3.500 anos a.C. por intermédio dos Sumérios, onde eles anulavam a sorte jogando um pouco de sal por cima de seus ombros esquerdos. Esse costume seguiu para egípcios, os assírios e, mais tarde, os gregos. O azar por derramar sal vem do valor que esse composto tinha nos tempos antigos (Lembram quando eu postei sobre a origem da palavra salário aqui?). Derramar sal era o mesmo que queimar dinheiro naquela época, justamente proque sal valia inclusive como pagamento. Para evitar uma vida de pobreza, que seja feito um ritual contra azar - que é justamente jogar sal sobre o ombro esquerdo.

5. Bater na madeira para evitar decepção.

Costume muito comum, a origem tem muitas variantes. A mais conhecida é a de que, em tempos antigos, as pessoas, ao fazerem um juramento, precisavam segurar um crucifixo, que geralmente é feito de madeira.
Outra hipotese vem do costume de antigos camponeses europeus baterem na madeira para afugentar espíritos do mal.

6.Sempre "Deus abençoe" um espirro.

No Brasil, é uma questão até de educação falar "saúde" após ver alguém espirrando. Em países de língua inglesa, a expressão toma a forma de "Bless you" ou "(Deus)Abençõe você".
Em várias culturas ao longo da história o espirro foi tratado como a expulção de espíritos malignos, mas ganhou força mesmo no século VI d.C., por ordem expressa do Papa Gregório, o Grande.
Era época de peste na Itália, e o Papa Gregório ordenou que os saudáveis orassem pelos enfermos. Como o primeiro sintoma da peste era espirros crônicos, sempre que alguém espirrava, a pessoa próxima falava "Deus abençõe  você". Se estivesse sozinha, a pessoa deveria falar "Deus me abençõe".

7.Pendurar uma ferradura em forma de U na porta traz boa sorte.

Os Gregos tinham o ferro como um elemento que afastava o mal e acreditavam que a Lua Crescente afugentava a infertilidade e a má sorte. Alguma semelhança com a ferradura? Na mosca.
Dos Gregos para os Romanos, e assim para os Cristãos, a crença da ferradura como símbolo de bons agouros se perpetuou.
Nas Ilhas Britânicas da Idade Média, onde o medo de bruxaria era intenso, as pessoas penduravam as ferraduras nas portas. Se perpetuou também a crença de que bruxas tinham medo de qualquer coisa ligada a cavalos. Achar uma ferradura que já havia sido usada por um cavalo era tirar a sorte grande.

8. Se um gato preto cruzar seu caminho é azar (ou sorte)

Pobres gatos,. São alvos de superstições desde os tempos mais antigos da humanidade, com direito a sorte e azar para eles e relacionados a eles.
Os egípcios veneravam os gatos, sejam eles pretos ou não. E se um gato cruzasse seu caminho, fosse ele pretou ou não, era sinal de boa sorte.
Essa ligação de sorte com os gatos (principalmente os pretos) só foi vista de novo em meados do século XVII na Inglaterra, quando o rei Charles I tinha um gato preto como animal de estimação.
Quando seu mascote morreu, ele disse ter lamentado que sua sorte tinha ido embora. O azar foi novamente atribuido ao gato preto quando, no dia seguinte, o rei foi preso, acusado de alta traição.
No resto da Europa, a má sorte era atribuida a estes felinos por serem considerados os parentes de bruxas, ou até mesmo as próprias bruxas disfarçadas. Quando um cruzava seu caminho era sinal de que o diabo estava observando você.

9. O número 13 traz azar.

Essa crença vem da mitologia nórdica, quando, conta a lenda, houve um jantar entre 12 deuses no Valhalla, a sala do banquete, em Asgard, a cidade dos deuses.
Loki, o deus da discórdia e do mal, acabou por aparecer mesmo sem ser convidado, aumentando o número de participantes para 13. Os outros deuses tentaram expulsar Loki, e na luta que se seguiu, Balder, o favorito entre eles, foi morto.
Os nórdicos evitavam jantares de 13 convidados, assim como tudo relacionado ao número 13.
A crença foi reforçada na Era Cristã quando, na Ultima Ceia, Judas, o discípulo traidor, foi, de acordo com a história, o 13º convidado.

0 Comentários:

Related Posts with Thumbnails
 
Copyright © Leis de M.E.R.F.