10 ideias bem erradas que existem sobre a África

Um país composto de um deserto enorme onde todos os seus habitantes negros habitam cabanas.
A frase acima contém erros absurdos que normalmente são cometidos quando nos referimos à África. Abaixo, uma lista dos mais comuns:

10. A África é um país.

 Não, a África NÃO é um país. Pode parecer absurdo mas muita gente acha que este continente é na verdade um país. Composto de 61 países, ou territórios independentes, a África possui mais de 1 bilhão de habitantes, se tornando o continente mais populoso do mundo depois da Ásia.

9. A África é composta somente por um deserto.
É uma das principais ideias que se tem da África: O continente é todo um grande deserto. Mentira. Ok, é lá que localizamos o Saara, o maior deserto de areia do mundo, mas isso não significa que só há ele por lá, a África apresenta um rico ecossistema com florestas tropicais, savanas e até montanhas onde há neve no cume.

8. Todos os Africanos vivem em cabanas.
A África possui a fama de continente atrasado, e talvez por isso tenhamos a ideia de que todos os seus habitantes moram em cabanas feitas de palha, madeira e barro. A África, no entanto, tem moderníssimos centros urbanos, nos quais vive, na realidade, a maior parte da população. As pessoas que habitam tais cabanas geralmente vêm de grupos tribais que conservam suas vilas no mesmo estado há muitas décadas. Uma situação parecida com a do Brasil, onde temos tribos indígenas que ainda preservam seus antigos costumes de habitação.

7. Os Africanos possuem comidas estranhas.

 No quesito comida, todo lugar possui suas particularidades culinárias, que podem ser estranhas aos olhos de alguma outra cultura, mas em cidades africanas é possível encontrar opções de comidas encontradas em qualquer outra cidade ocidental, incluindo as redes de fast food.

6. Há animais selvagens por toda a parte 
O número de leões e zebras que você vai encontrar nas cidades africanas é igual ao número de leões e zebras que você vai encontrar se visitar qualquer outra cidade ocidental: zero. As condições urbanas não são favoráveis para o desenvolvimento de animais selvagens, assim sendo, eles só são encontrados em seus habitats naturais, que são constantemente devastados pelo avanço das cidades, levando várias espécies ao risco de extinção. Se você quiser ver algum animal selvagem na África, terá que fazer uma viagem especialmente para este fim.

5. A África é excluída digitalmente
 Muita gente se surpreende pelo simples fato de um africano usar a internet! Muita gente acha que a população africana não possui acesso à tecnologia, o que é errado. As inovações da era digital não são uma exclusividade que não inclui a África, sendo este um continente onde tudo que encontramos em lojas de tais ramo em qualquer outra cidade do mundo também podem ser encontrados por lá.

4. O Idioma "Africano" 
 Se tem tanta gente que acha que a África é um país, não é de se surpreender que muita gente também ache que existe o idioma "Africano". Muito disso pode ser culpa do Google Translator, que possiblita uma tradução em um idioma "Africano", o que na verdade não existe. O continente possui pelo menos 305 dialetos diferentes, e isso inclui línguas muito conhecidas, como Inglês, Espanhol, Francês e até Português!

3. A  África possui poucos hotéis
 Não é nem um pouco difícil encontrar hospedaria em uma visita ao continente africano. As maiores cidades do continente dispõem de dezenas de hotéis disponíveis para turistas. Só nas oito maiores cidades da África do Sul, o país mais ao sul do continente, existem 372 hoteis.


2. Os Africanos não sabem o que é um banheiro
Há quem pense que todo africano é obrigado a usar arbustos ou buracos no chão para "se aliviar". Isso existe, sim, se você esiver em uma tribo muito isolada, do contrário, toda casa africana possui um vaso sanitário muito parecido com o que você tem na sua casa.

1. Todo Africano é negro.
 Esse talvez seja o maior erro de todos e o mais comum também. Da mesma forma que houve miscigenação de raças na América, devido às intensas migrações de europeus, a África também recebeu essas misturas. Em países como a Namíbia, por exemplo, há famílias africanas brancas descendentes de franceses, holandeses e portugueses. Mas não há apenas isso: o continente também abriga grandes comunidades de indianos, chineses e malaios, de modo que não se pode falar em “raça africana”.
Não é raro ouvir negros sendo chamados de "afrodescendentes". Isso não é totalmente errado, dependendo do caso, mas não é só na África que povos de pele escura se desenvovleram. Isso pode ser observado na história em regiões da Oceania, Ásia e até Américas. Quase podemos falar que não existe uma “raça negra”. Muitas pessoas acham que todos os negros são da mesma raça ou grupo étnico, incluindo aquelas que descrevem a própria descendência como sendo, por exemplo, ¼ britânicos, ¼ hispânicos, ¼ russos e ¼ “negros”.
Isso é um engano pois  há várias características físicas dissonantes entre os povos de pele escura. As diferenças começam pela própria tonalidade: alguns povos têm a pele mais “avermelhada” ou mais marrom do que outros, e alguns são menos escuros, sem levar em conta a miscigenação, formatos de nariz, boca ou cabelos. Não é possível falar, portanto, em “negros” simplesmente.

2 Comentários:

Déia disse...

hahah, já sabia de tudo isso, mas acho ridículo muitas pessoas pensarem na África como um país, cheio de gente pobre que sai caçando pra poder comer.
Pior é que muita gente lá fora também pensa absurdos sobre o Brasil. Já me perguntaram uma vez se a gnt viajava para fora de cavalo, acredita?!

Matheus Eduardo Freitag disse...

Não só acredito como já presenciei esse tipo de coisa, um absurdo mesmo!

Related Posts with Thumbnails
 
Copyright © Leis de M.E.R.F.